Forum SOS Amamentação

Bem vindo ao Fórum da SOS Amamentação. Para colocar questões, clique na imagem cor de rosa em baixo ou vá à nossa página da SOS Amamentação no Facebook.

Pode acontecer os voluntários não responderem atempadamente. Se tiver alguma dúvida urgente ou que veja que não foi respondida, por favor contacte os voluntários de serviço (24horas), cujos números se encontram disponíveis na página inicial.

Participe!


SOS Amametação na HealthUnlocked



Em baixo pode também aceder ao fórum antigo.

 
  Forum  Forum SOS  Questões sobre ...  Dores na mama e mamilo depois de amamentar
Anterior Anterior
 
Seguinte Seguinte
Nova Mensagem 04-10-2008 1:04
  acardoso
1 tópico(s)
sem Classificação


Dores na mama e mamilo depois de amamentar  (Portugal)

Olá.

Sou mãe de 1.ª viagem de um rapaz que nasceu com 3230g e que agora, com 2 meses está com 5590g. Tanto o pediatra como a médica de família me têm dito que está a desenvolver-se bem e a ganhar peso adequadamente. Estou a amamentá-lo exclusivamente desde o dia em que nasceu. Tenho três perguntas:

P1: Noto que o bebé mama menos agora, ou pelo menos mama durante menos tempo em cada mamada, e que as minhas mamas já não estão tão cheias quando ele vai à mama (normalmente de 3 em e horas). Fico insegura se estarei a produzir menos leite do que antes e se corro o risco de este acabar. O que pode levar o leite a acabar?

P2: Sempre que dou de mamar, passados uns minutos o meu mamilo contrai-se (como quando temos frio) e fica assim durante algum tempo, ao mesmo tempo tenho dores muito fortes no interior da mama e nas costas na parte oposta às mamas. O mesmo me acontece quando tomo banho. São dores mesmo fortes, que me obrigam até a colocar o bebé num local mais seguro que o meu colo, pois tenho medo de o largar por reflexo das dores. Isto já aconteceu a mais alguém?

P3: Apesar dos dois meses a amamentar, continuo a ter os mamilos muito sensíveis e apenas o contacto destes com a roupa me faz doer imenso. A pele deles é muito rosadinha e parece muito fininha. Continuo a deixar as mamas secar ao ar depois da mamada e coloco o purelan. O que posso fazer mais?

Obrigada.

Ana

 
Nova Mensagem 05-10-2008 16:34
  Helena
711 tópico(s)
3º


Re: Dores na mama e mamilo depois de amamentar  (Portugal)

 Em relação à sua P1penso que se encontra a atravessar o que o Dr. CG designou da crise dos 3 meses (no seu caso surgiu um pouco mais cedo). Do que descreve não se passa nada de errado consigo, qd a produção de leite se adequa às necessidades do bebé, a sensação de mama cheira desaparece. 

Retirado do seguinte link: http://nossocantinho.forums-free.com/crise-dos-3-meses-t93.html

A Crise dos 3 Meses


"Por volta de 2-3 meses de idade, alguns bebês tornam-se tão eficientes na mamada que são capazes de mamar tudo o que precisam em 5 ou 7 minutos, algumas vezes em 3 minutos. Se ninguém disso isso para a mãe e ela espera que a criança fique no seio por “pelo menos 10 minutos”, ela vai achar que seu filho não está mamando o suficiente, como esta mãe aqui: 

Eu tenho uma filha de 4 meses. Meu problema é que não sei se ela está mamando o suficiente. Ela passa somente 3-4 minutos no peito e eu fico com receio de que ela não está mamando leite suficiente. Quando ela tinha 2 meses, ela mamava por 10 minutos de um lado e 5 do outro e ganhava peso rapidamente; agora ela está caindo na curva de crescimento. 

Eu também notei que meus seios não enchem mais como antes, eles chegavam até a vazar! 

O que mais me intriga é que nos primeiros 2 minutos ela engole muito leite, bem rápido e e depois começa a tirar a boca do peito e a colocar novamente, sem ficar quieta. Eu tenho que alternar os lados e tentar posições diferentes para ela mamar ao menos 10 minutos. Eu me pergunto se ela faz isso porque ainda está com fome. 

Outra coisa que me preocupa é que ela está mamando mais vezes, especialmente de noite. Ela dormia 5-6 horas seguidas de noite, agora dorme no máximo 3-4 horas, até menos. 

O pediatra me disse que eu posso começar a dar leite artificial na mamadeira. Já tentei, mas ela não aceita, mesmo que outra pessoa ofereça a mamadeira. 

O caso desta mãe ilustra bem a crise dos 3 meses de idade: 

1. O bebê que mamava 10 minutos agora termina em 5 minutos ou menos. 
2. Os seios, antes cheios e pesados, agora estão macios e “vazios”. 
3. O leite não vaza mais. 
4. O ganho de peso do bebê diminui. 

Tudo isso é absolutamente normal. O engurgitamento das mamas nas primeiras semanas pós-parto não tem nada a ver com a quantidade de leite produzida e sim com uma inflamação temporária que acontece no início da lactação. Mamas cheias e vazamento são problemas iniciais, que desaparecem assim que a amamentação está estabelecida. 

E a diminuição no ganho de peso, claro, é esperada. Os bebês ganham menos e menos peso a cada mês que passa. É por isso que as curvas de crescimento são curvas e não retas. Entre 1 e 2 meses, uma menina amamentada ao seio ganha tipicamenate 400g a 1,3 kg, com a média sendo um pouco acima de 800g. Eliminamos o primeiro mês, porque sempre há perda de peso e depois ganho, o que faz a conta final muito variável. SE o bebê fosse continuar ganhando peso neste padrão, em 1 ano ganharia 5 a 15 kg, com média de 10 kg. Na realidade, durante o primeiro ano de vida, meninas ganham entre 4,5 a 6,5 kg, com a média sendo 5,5kg. Em outras palavras, uma menina que ganhou 500g no primeiro mês de vida (alguns podem achar muito pouco, mas na realidade é normal) ganhará menos peso eventualmente. Todos os pesos são medidas aproximadas. Meninos geralmente ganham um pouco mais que meninas. 

Claro que o bebê da mãe do exemplo não aceitou a mamadeira com complemento; ela não estava com fome. Infelizmente nem todos os bebês mostram tal controle e, algumas vezes, especialmente se a mãe insiste muito, eles tomam a mamadeira msmo sem estarem com fome. 

Se alguém tivesse explicado a esta mãe o que estaria para acontecer no terceiro mês, ela não teria se preocupado. Mas a mudança inesperada deixou-a insegura. Mesmo assim, se ela estivesse confiante na própria habilidade para amamentar, ela não teria se estressado. A explicação mais lógica para todas as mudanças é “eu tenho tanto leite que minha filha fica cheia em 3 minutos”. Mas o medo do fracasso na amamentação é tão incutido em nossa sociedade, que não importa o que acontece, a mãe sempre pensa (ou é convencida a pensar) que ela não tem leite suficiente. 

A mãe também se preocupa com outro mito moderno: que as crianças, à medida em que o tempo passa, aprender a dormir mais. Na realidade, as crianças passam mais tempo acordadas quando vão crescendo. É verdade que um dia elas dormirão mais horas seguidas e vão começar a dormir a noite inteira, mas dificilmente isso acontece aos 4 meses de idade. Entre o nascimento e 4 meses de vida, é mais provável que você observe seu bebê dormindo menos. Muitos bebês mamam várias vezes por noite durante os primeiros anos de vida (o que é muito mais fácil que preparar mamadeiras de madrugada, especialmente se o bebê dorme na mesma cama que a mãe). 

A mãe do exemplo já começou a forçar a filha a comer. É um beco sem saída. É fácil deduzir que, a menos que a mãe decida mudar radicalmente seus hábitos, a introdução de sólidos será uma luta." 

Retirado, na íntegra, de My Child Won't Eat, do pediatra Carlos González, recomendado pela La Leche League.

 

Em relação à P2 e P3 deve contactar assim que puder ( mas não adie muito) uma voluntária. Dar de mamar deve ser um prazer e essa sensação de dor não é de todo normal. Penso que há 2 problemas de saúde que podem conduzir a essa situação (ambos tratáveis e não implicam deixar de dar de mamar) mas apenas as voluntárias com a sua formação especifica nesta área poderão fazer o diagnóstico e dizer-lhe o que fazer. Não deixe que a situação se prolongue mais.

 

 

 


Helena Cepeda - Voluntária do SOSamamentação Lilypie Breastfeeding tickers Núcleo do SOS amamentação do Faial
 
Anterior Anterior
 
Seguinte Seguinte
  Forum  Forum SOS  Questões sobre ...  Dores na mama e mamilo depois de amamentar

Parcerias

Consulte

© 2014 SOS Amamentação
Privacidade | Condições de Utilização